quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

FELIZ ANO NOVO! Que 2010 seja melhor do que 2009 e quase tão bom quanto 2011!

Apesar de não ser domingo, hoje me pareceu um dia propício para escrever no blog. Por falar em domingo, constato uma ironia: talvez "domingo" tenha sido o dia da semana em que menos postei.
Ontem fui instado a colocar algo no blog pelo Bosco, com a delicadeza que lhe é inerente. Abstraindo-se do texto literal, não por censura, antes por pendor estético, podria assim traduzir sua assertiva: "- Já que você não está trabalhando, vê se escreve alguma coisa no blog!". Isso foi um eufemismo, podem acreditar!
Como o início de um novo ano traz a idéia de renovação, com o estabelecimento de novos projetos e fixação de objetivos e metas, penso que seria adequado, mais do que simplesmente desejar sucesso, sorte e felicidade, trazer alguns conselhos.
Pois bem, para fugir um pouco dos lugares-comuns e clichês, aos quais há muito sou afeito e entusiasta, decidi trazer alguns ensinamentos de origem mulçumana, colhidos da histórica tradição oral árabe e cristalizados numa das mais belas obras literárias jamais produzidas: As mil e uma noites.
Eis o contexto: A história de Nuredin Ali e de Bedredin Hassan - 95ª Noite.
Nuredin Ali está moribundo. Prestes a expirar, recobra as forças e aconselha a seu filho, Bedredin Hassan:


"Meu filho, a primeira máxima que quero ensinar-te é a de te não abrires com qualquer pessoa. O meio de viveres em segurança é entregares-te a ti mesmo, e não te comunicares facilmente.


A segunda é não fazeres violência contra quem quer que seja, pois neste caso todos se voltarão contra ti; considera o mundo um credor a quem deves moderação, compaixão e tolerância.


A terceira é não dizeres nada, quando te cobrirem de injúrias. Estamos fora de perigo, diz o provérbio, quando nos calamos. É particularmente nessa ocasião que deves calar-te. Sabes também que, sobre esse ponto, um dos nossos poetas afirma que o silêncio é o ornamento e a salvaguarda da vida, e que é preciso, ao falar, não assemelhar-se à tempestade que a tudo destrói. Nunca se viu ninguém arrependido por ter-se calado, ao passo que são muitos os que se arrependem de ter falado.


A quarta é não beberes vinho, fonte de todos os vícios.


A quinta é cuidares bem dos teus bens; se não os dissipares, servir-te-ão na necessidade. Não convém, todavia, possuir muitos, tampouco ser avarento; por poucos que sejam teus bens, se os usares bem, terás muitos amigos; mas, se, pelo contrário, tiveres grandes riquezas, e mal usadas, todos se afastarão de ti e te abandonarão."


Para nós, ocidentais que sofremos pouca influência da cultura árabe, esses ensinamentos trazem um sabor algo exótico e curioso, tendo sido exatamente essa a sensação que eu queria provocar no amigo e paciente leitor, neste que é o último dia de 2009!


Desejo a todos um FELIZ ANO NOVO e que, em 2010, possamos por em prática, com exceção do 4º, todos os demais conselhos deixados por Nuredin Ali, Grão-Vizir de Bassorá.

Um comentário:

  1. Com exceção do 4º mesmo... Precisamos de rolhas!!! :)

    ResponderExcluir

Muito obrigado pelo comentário!